terça-feira, 22 de janeiro de 2013

A quem interessa a sustentabilidade?


SUSTENTABILIDADE: É INTERESSE DE TODOS!
Por Zeildo Mendes

A inquietação com os temas ambientais não é nova. Desde a antiguidade encontram-se relatos acerca da preocupação com o meio ambiente. Na Mesopotâmia, XVIII séculos a.C., o Rei Hamurabi já se preocupava com questões hídricas, intervindo na bacia do rio Eufrates, aprimorando a produção agrícola por meio da irrigação e melhorando a navegação fluvial.
As mudanças no sistema produtivo, a partir da Revolução Industrial, desencadearam um crescente consumo de recursos naturais. Contudo, foi após os anos 70 do século XX, com o crescimento industrial e com aparecimento dos grandes desastres ecológicos, que o mundo passou a sentir os maiores impactos da agressão ambiental. Surgiram, então, os primeiros movimentos em defesa do meio ambiente.
Nesse contexto, a Organização das Nações Unidas (ONU) determinou um estudo mais aprofundado sobre as questões ambientais, resultando em um documento intitulado Nosso Futuro Comum ou Relatório Brundtland. Esse estudo, apresentado no início dos anos 80, trouxe pela primeira vez a expressão desenvolvimento sustentável. A partir daí o tema passou a ser tratado em todos os campos do saber científico.
Desenvolvimento sustentável é, portanto, o modelo que visa a promover a conservação do meio ambiente e o uso eficiente dos recursos, garantindo-se às gerações futuras, em igualdade de condições com as gerações atuais, o direito a um meio ambiente ecologicamente equilibrado, com qualidade de vida para todos.

A sustentabilidade não pode ser vista de forma isolada e estanque. Ao contrário, é interdisciplinar e dinâmica. Deve ser permanentemente perseguida, com a interveniência de todas as pessoas, todas as áreas do conhecimento e em todo o planeta. É a ideia do holismo.
Esse modelo, preconizado pelos principais ordenamentos jurídicos do planeta, está suportado por três pilares que devem se equilibrar permanentemente: o ambiental, o econômico e o social. Portanto, o desenvolvimento será sustentável quando as ações humanas forem ambientalmente corretas, socialmente justas e economicamente viáveis.
Em suma, cabe a todos – sociedade, governo e entidades internacionais – agir em prol dessa ideia. Em cada passo que se dá, sejam nas atitudes mais elementares de nossa vida, sejam nas mais complexas tomadas de decisões corporativas e governamentais, devemos observar esses princípios em toda sua plenitude.

2 comentários:

  1. Excelente texto. Você conseguiu apresentar com maestria e simplicidade os antecedentes históricos do desenvolvimento sustentável. Parabéns!

    ResponderExcluir
  2. Realmente, trata-se de um texto bastante conciso e com muita objetividade. Está de parabéns o autor pela clareza de ideias acima expostas. Fico bastante feliz em saber que se trata de um egresso do Curso de Mestrado Profissionalizante em Desenvolvimento Local Sustentável da FCAP/UPE, no qual eu me encontro regularmente matriculado, na 8ª Turma, 2013.
    Erivan José dos Santos.

    ResponderExcluir